Sobre a greve de 12 de Agosto

CategoriasComunicados / Comunicação

NOTA DO NÓS, CIDADÃOS!

A ANUNCIADA GREVE DE 12 DE AGOSTO

Artigo 57.º

Direito à greve e proibição do lock-out
1. É garantido o direito à greve.
2. Compete aos trabalhadores definir o âmbito de interesses a defender através da greve, não podendo a lei limitar esse âmbito.
3. A lei define as condições de prestação, durante a greve, de serviços necessários à segurança e manutenção de equipamentos e instalações, bem como de serviços mínimos indispensáveis para ocorrer à satisfação de necessidades sociais impreteríveis.
4. É proibido o lock-out.

Assim fala a Constituição da República Portuguesa. A lei que o governo jurou cumprir e fazer cumprir.

O NÓS, CIDADÃOS! é pelo direito à greve conforme plasmado na lei constitucional. Todavia, para agir democraticamente e defender a Democracia, ameaçada a cada dia que passa, num mundo globalizado, é preciso respeitar os cidadãos e o respeito ganha-se conquistando credibilidade. Ora, NÓS CIDADÃOS!, consideramos que nesta greve anunciada muitos perdem credibilidade.

Nesta greve, como na dos Professores e dos Enfermeiros, acreditamos que a principal responsabilidade é a de um Governo, já a lutar para ganhar eleições em Outubro que, em vez de procurar o bem comum e a coesão social, atira grupos sociais uns contra os outros.

Quem vota no Nós, Cidadãos! vota por ser o movimento do bem comum, o partido que defende o interesse de todos e o interesse de cada um, em democracia. Mas não vale tudo e dizemos porquê.

O Governo decretou serviços mínimos que mais parecem serviços máximos, com o beneplácito da Procuradoria-Geral da República e decretou a crise energética, impondo o racionamento dos combustíveis. Com a colaboração da imprensa, implantou uma cultura do medo, do confronto e da divisão social.

Nesta greve, consideramos que os interesses dos 700 associados do Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas, não podem colidir com as necessidades sociais impreteríveis de 10 milhões e meio de Portugueses, que neste caso, dificilmente se satisfazem com o cumprimento de serviços mínimos. Por isso, em dia de plenários de motoristas apelamos a que estes desconvoquem a greve anunciada, mantendo as suas reivindicações e, exigindo uma negociação em que o governo deve estar presente, cumprindo e fazendo cumprir a Lei Constitucional, a Antram e os sindicatos representantes dos trabalhadores, nunca esquecendo que deverão todos trabalhar para o bem comum e a coesão nacional, tal como defende NÓS, CIDADÃOS!.

Não escapa aos cidadãos que o ministro do Planeamento, apelou à população que abastecesse os carros e que o Presidente da República, até anunciou no decorrer da sua visita à Alemanha, que já tinha o depósito cheio. Estas mensagens passaram três dias antes da greve anunciada. Como consequência, já escasseia o combustível em vários postos e já há confrontos físicos violentos, como os que ocorreram em Almada. O governo contribuiu para o alarme social e para a divisão da opinião pública.

Não escapa, também, aos cidadãos que o porta voz e vice-presidente do Sindicato dos 700 motoristas, parece ser uma personalidade que usa esta acção dos motoristas, para ganhar visibilidade e fama, prestando-se a que dele falem como candidato por um partido que nunca teve representação parlamentar.

Não nos parece que o advogado, vice-presidente do SNMMP, favoreça a credibilidade de uma classe de trabalhadores abandonados à sua sorte.

Interesses ocultos a brincarem com as necessidades sociais impreteríveis dos cidadãos portugueses?! – Perguntamos NÓS, CIDADÃOS!.

O Governo, não cria condições para uma contratação colectiva a nível nacional que fomente o bem comum, a justiça e igualdade de oportunidades entre todos. E assim se perde credibilidade.

Perde credibilidade António Costa, no modo como actua, querendo sempre transformar aparentes derrotas em estrondosas vitórias, e recorrendo ao apoio da comunicação social para o conseguir, mais uma vez com acções e palavras que não solidificam a coesão social.

NÓS, CIDADÃOS!, não aceitamos que transformem os motoristas que reivindicam direitos e melhores condições de trabalho em gananciosos e agentes da desordem. Já os professores foram achincalhados e os enfermeiros trucidados em greves anteriores; mas os juízes escaparam, com a anuência de presidente da República. Outros interesses?!

A totalidade dos cidadãos portugueses é prejudicada com esta greve anunciada, entre as dezenas que existiram em vários sectores e o NÓS, CIDADÃOS! denuncia este clima de crispação pré-eleitoral que desmoraliza a população, que coloca todos contra todos e que faz com que mais de 50% dos portugueses se dissociem da cidadania activa, não exercendo o ser dever cívico de votar em eleições, por descrédito na classe política nacional.

Assim, face à crispação social que levou os sindicatos a decretarem greve de transportes de mercadorias; face à campanha do medo na opinião pública, que o governo deixou alastrar e que as televisões cultivam, face à instabilidade social gerada, NÓS, CIDADÃOS! apela ao Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas para que desconvoque a greve de 12 de Agosto, mantendo por outras formas e com pessoas credíveis as suas reivindicações.

10 de agosto de 2019

Artigos Relacionados

12 DE FEVEREIRO DE 2021

Uma lei que prejudica...

Ainda acerca da famigerada revisão da lei eleitoral, que regula o acesso aos órgãos...

0

11 DE FEVEREIRO DE 2021

Nós Cidadãos: Não queremos...

A nona alteração à lei autárquica, aprovada pelos votos do PS e do PSD, vem...

0

22 DE JANEIRO DE 2021

REPTO NACIONAL NÓS CIDADÃOS

URGENTE!!! Haja bom senso, sentido de Estado e respeito pelo povo português. O Governo e...

0

3 DE NOVEMBRO DE 2020

III Congresso do Nós,...

Nos termos do artigo 212, alínea 2, dos estatutos do Nós, Cidadãos!, venho por esta...

0

13 DE MARçO DE 2020

III Congresso do Nós,...

Caros Membros do Nós, Cidadãos! A evolução da COVID-19 em Portugal muito dificultou a...

0

1 DE MARçO DE 2020

III CONGRESSO DO NÓS,...

Nos termos do artigo 21º, alínea 2, dos estatutos do Nós, Cidadãos!, venho por esta...

0

Comentários

Um Comentários

  • Avatar
    Joaquim Ramalho

    Quando soube que um grupo de cidadãos decidiu furar o bloqueio partidário instituído,, à participação autónoma de grupos de cidadãos livres ( ainda que assumindo a fórmula partidária exigida, para o efeito) tive alguma expectativa positiva de, num futuro próximo, ser possível contar com uma representação parlamentar independente, dos interesses centrais dos próprios representantes tradicionais , que se propusesse dar voz às principais aspirações e desígnios da comunidade, rumo a um futuro colectivo melhor e mais digno. Ou seja, um representação com um sentido de missão , para além da mera auto-satisfação, que é sempre necessária, mas com um sentido comunitário e solidário.
    Para isso, é necessário ter como referência um quadro ideológico claro, acreditar nele e cumpri-lo, dizendo não aos oportunismos (de todas as cores e até incolores), arrivismos pessoais e caudilhos ( seja quem for o personagem), porque essa fórmula já está gasta e a história já mostrou que não conduz o caminhos para uma sociedade e pessoas melhores.
    Bem vindos os que, com nobreza e dedicação, tragam apara a vida pública propostas para construir e consolidar uma sociedade que contribua para um melhor desenvolvimento humano dos seus cidadãos e para concretização das suas legítimas aspirações.
    Para depreciar a concorrência, não precisamos de mais a”anjos caídos”, os que foram surgindo neste percurso de 45 anos de democracia, já sobram!Dito isto, ponderem bem sobre as escolha de QUEM faz opinião no vosso site. Pelo que li, de um desses articulistas, a estratégia continua a ser a velha: descredibilizar os outros e esperar que a água venha para o nosso caminho. Errado! Porque é disso que se tem feito a velha política, desde que há multipartidarismo , e o povo já não paga para isso. Uma boa ideia mal lançada, não é só má!, é perniciosa porque inviabilizou-a por muito Tempo!
    Por isso, a prudência sempre aconselhou a: Pensar antes de AGIR. Espero que ainda estejam a tempo.

    Responder

Deixe um Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.