NÓS, CIDADÃOS! saudamos efusivamente a eleição de António Guterres como próximo Secretário-Geral da ONU: Organização das Nações Unidas, contra todas as especulações surgidas nos últimos dias, com a candidatura extemporânea da alegada favorita do Partido Popular Europeu, Kristalina Georgieva.

Ao longo das sucessivas votações, tornou-se evidente que António Guterres era, pelo seu perfil humanista, o candidato preferido da generalidade dos países. Se os membros do Conselho de Segurança viessem agora vetá-lo, isso constituiria mais uma machadada no já débil prestígio desta instituição que todos devemos preservar, em prol da paz do mundo.

Apesar de esta ser uma função que exige que todos os países sejam tratados de forma paritária, não podemos deixar de manifestar a nossa esperança de que a eleição do primeiro lusófono para Secretário-Geral da ONU seja também um motivo de maior coesão entre todos os países de língua portuguesa, que certamente passarão a ter na ONU um interlocutor sempre disponível e um apoio direto. Cremos, de resto, que António Guterres será um bom representante da cultura lusófona, que, historicamente, sempre foi uma plataforma privilegiada do diálogo ecuménico entre as várias religiões, condição essencial para a paz no mundo.

NÓS, CIDADÃOS!

5 de outubro de 2016