NÓS, CIDADÃOS! defendemos uma política de transportes aéreos que sirva os interesses estratégicos do País – e, para essa política, a manutenção e o fortalecimento de uma companhia de bandeira serão fundamentais. A TAP tem sido um factor de projeção da imagem de Portugal; tem sido fundamental como elo de ligação e transporte de cerca de 5 milhões de Portugueses no exterior. Ainda que a TAP venha a ser privatizada, o que mais importa é que continue ao serviço dos nossos interesses estratégicos – em suma, ao serviço dos cidadãos, cabendo ao Governo incluir nos acordos a “Cláusula do Interesse Nacional Vital” prevista nos Tratados Europeus.
Dito isto, importa reconhecer que a greve de dez dias na TAP, decretada pelo Sindicato dos Pilotos está a ser um fiasco. Convocada sem a menor concertação prévia com os restantes trabalhadores da TAP e sem merecer o apoio da maioria dos pilotos, esta greve é o exemplo do como um direito pode ser usado sem razoabilidade. Quando se afirmam direitos sem os correspondentes deveres, são, desde logo, os direitos a sair fragilizados. Por tudo isso, o NÓS, CIDADÃOS! não pode senão demarcar-se desta greve, que poderá pôr em causa o futuro da TAP.

NÓS, CIDADÃOS!
4 de Maio de 2015